em abril 28, 2021
eBook Sefarditas

Os Castelo Branco

em abril 28, 2021

Os Castelo Branco

A família Castelo Branco tem suas origens em terras lusitanas.  Acredita-se que, durante um longo período, desde o século XIII, o sobrenome esteve ligado à tradição e à nobreza. 

Os Castelo Branco chegaram ao Brasil por volta de 1693, por meio de Dom Francisco da Cunha de Castelo Branco, Maria Eugênia de Mesquita e suas filhas Ana Castelo Branco de Mesquita, Maria Monte Serrate Castelo Branco y Clara da Cunha e Silva Castello Branco

SAIBA SE PODE SOLICITAR A CIDADANIA PORTUGUESA!

A chegada, entretanto, não foi fácil. Registros históricos indicam que a embarcação que trouxe a família, e muitas de suas riquezas e posses, naufragou na costa de Pernambuco. O acidente terá levado de Dom Francisco, não só seus bens materiais, como também sua esposa. 

Em terras brasileiras, Dom Francisco casou-se novamente.  Após passagem pelo Maranhão, foi no Piauí que Dom Francisco, as filhas e a nova esposa se estabeleceram. Na região de Santo Antônio do Surubim construiu fazendas, currais e lavouras, tendo se tornado um bem sucedido fazendeiro. 

Os Castelos Branco, ao longo dos anos, uniram-se em matrimônio com outras famílias com ascendência sefardita, a exemplo dos “Rego de Barros” e dos “Carvalho de Almeida“. Aqui é interessante destacar que, nessas uniões, o sobrenome Castelo Branco foi o herdado pela maioria dos descendentes, especialmente, até o século XIX. 

Tal predominância não garantiu, entretanto, a exclusividade dos Castelo Branco. Assim, outras composições de sobrenomes que estão entre os descendentes dessa família são os “Almendra Freitas” e “Pereira Ferraz“.

É no Estado do Piauí onde, ainda hoje, se concentra grande parte da descendência dos Castelo Branco.

FAÇA UMA ANÁLISE PRÉVIA AGORA!

A ascendência sefardita

Os Castelo Branco possuem direito à nacionalidade portuguesa, pois descendem de Duarte Brandão. Filho do rico mercador sefardita Jacob Baru, Duarte só assumiu este nome em finais do século XV quando deixou a Inglaterra e retornou a Portugal. 

Em território inglês, após se tornar cristão-novo e receber do rei Eduardo IV o nome de Edward Brampton, Duarte foi ordenado cavaleiro e agraciado com o título de Cavaleiro da Ordem da Jarrateira e com o governo da Ilha de Guernsey.   

Duarte Brandão ou Edward Brampton, deixou descendência tanto em Portugal quanto na Inglaterra. Ambos os sobrenomes foram perpetuados, cada um em seu território de origem.