Jerfson Lins Por Jerfson Lins
em junho 10, 2020
eBook Sefarditas

Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas

Jerfson Lins Por Jerfson Lins
em junho 10, 2020

Foto: José Rosa | Belém, Portugal

O povo brasileiro é formado por uma grande miscigenação de culturas, dentre as quais se destaca a cultura portuguesa. Por mais de 300 anos, Portugal foi metrópole do Brasil, exercendo seu controle sobre a colônia não apenas política e administrativa, mas também sobre os costumes, ditando moda, hábitos e comportamentos, inclusive por meio da força, durante a vigência do Tribunal da “Santa Inquisição”.

Mas, acima de qualquer outra influência portuguesa na cultura brasileira, o idioma é, sem dúvida, uma das significativas. E foi em homenagem ao maior expoente da literatura portuguesa que o dia 10 de junho foi estabelecido como o Dia de Portugal. Por determinação do rei D. Luís I, em 1880 a data foi declarada “Dia de Festa Nacional e de Grande Gala” para comemorar, apenas nesse ano, os 300 anos da hipotética data da morte de Luís de Camões, 10 de junho de 1580. Após idas e vindas, a data passou, em 1978, período da Terceira República, a ter a simbologia atual e ser considerada feriado, chamado de Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

A data, para os brasileiros, é um convite à reflexão sobre as diversas influências que nossos colonizadores exerceram sobre nossa identidade nacional, que junto com a língua, transplantaram para a colônia a religião católica e festas que hoje são indissociáveis à cultura brasileira: o carnaval e as festas juninas, além de folguedos regionalistas, como as cavalhadas, o bumba-meu-boi, o fandango e a farra do boi. O folclore brasileiro também traz seres inseridos em nosso imaginário pelos portugueses, como a cuca, o bicho-papão e o lobisomem, além de muitas lendas e jogos infantis, como as cantigas de roda.

A cachaça e a feijoada, elementos tão característicos da culinária brasileira, foram adaptados, respectivamente, da bagaceira, bebida portuguesa feita a partir do bagaço da uva, e dos tradicionais cozidos portugueses. Fora os pratos adotados diretamente da culinária lusitana, como as bacalhoadas e fios de ovos, além da inserção de plantas frutíferas, como a jaca e a manga, que não são nativas do Brasil.

Essa herança cultural, bem como outras tradições, são alguns dos laços que permanecem entre Brasil e Portugal, o que tem facilitado a opção dos brasileiros por migrar para o país europeu. E Portugal tem recebido cada vez mais migrantes brasileiros, que conseguem a naturalização tanto por terem pais portugueses quanto por terem vínculos com a comunidade sefardita (judeus perseguidos durante a Inquisição ibérica).